Cheles

Cheles é um município raiano espanhol, localizado junto ao Grande Lago do Alqueva.

O primitivo núcleo urbano de origem muçulmana, edificado no lugar de San Blas, foi tomado pelos cavaleiros templários em 1231, durante o reinado de Fernando III de Castela. Sem nunca ter sido um lugar fortificado, em comparação com as fortalezas do lado português, Cheles encontraria no século XVI, o período de maior desenvolvimento urbano, graças à família de Manuel Villena, senhores da terra. É neste período construída a Igreja de Nossa Sra. de la Concepción, a mais notável estrutura religiosa de Cheles.
No século XVII, na sequência de conflitos fronteiriços da Guerra da Restauração, Cheles foi despovoada, tendo sido mais tarde repovoada com um grande número de famílias raianas portuguesas.

A sua proximidade com o Guadiana é particularmente refletida nas suas especialidades culinárias que assentam sobre a preparação do peixe do rio, como no caso do encaspacho de peixe. A sua fundação é muito antiga, aparecendo documentada no século XIII no rol de bens territoriais de D. João Peres de Aboim (senhor de Portel). Nessa época esta povoação era conhecida por Amieira da Moura, provavelmente devido à sua proximidade ao eixo viário que ligava diretamente Évora a Moura.

Destaca-se, no seu casario branco, parte dele construído em adobe tradicional, algum património religioso como a ermida de S. Romão e a igreja paroquial, consagrada a N. Sra. das Neves. Muito isolada antes da construção da barragem de Alqueva, a aldeia conserva um riquíssimo património cultural na expressão do cante e da poética tradicional alentejana, e onde não falta uma singular cozinha, herdeira da melhor tradição da caça, do peixe do rio e dos produtos da serra.


Locais a visitar:

Igreja de N. Sra. da Concepción
Ermida del Santo Cristo de la Paz

Praia fluvial de Cheles



fonte: Amieira Marina
 
Igreja N. Sra. Concepción

Ermida del Santo Cristo de la Paz